,

Para que a comparticipação seja possível, é preciso que seja criado um grupo fármaco-terapêutico. A obesidade atinge cerca de dois milhões de pessoas e para os casos mais severos a cirurgia é a opção.

Para aceder à notícia no “Público” clique aqui